quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Ervas de Provence


As colinas do sul da França são pródigas em ervas aromáticas e elas marcam forte presença na cozinha da região, conhecida como Provence. O toque do louro, do manjericão, do tomilho, do alecrim, da salsa, do orégano, da segurelha, do estragão, da menta e da manjerona, entre outras, sempre seduziu os visitantes do lugar, que se acostumaram a voltar para casa com mudas daquelas plantas especiais. Mas nem todos os climas as recebem bem e, por isso, alguém teve a idéia de secá-las e industrializá-las para agradar aos turistas.
As chamadas ervas de Provence só passaram a ser vendidas em conjunto, desidratadas e com este nome a partir dos anos 1970. E são conhecidas assim principalmente fora da França. Como acontece com as massalas indianas, para as quais cada cozinheiro tem sua fórmula, não há uma receita padronizada para o mix francês. Tradicionalmente, inclui manjericão, louro, manjerona, alecrim, segurelha e tomilho. Raspas de casca de laranja às vezes são adicionadas, assim como lavanda. De modo geral, a combinação resulta em sabor relativamente adocicado, picante e mentolado. Muito usada para temperar peixes, carnes e vegetais, a mistura geralmente é adicionada durante o cozimento, pois é a melhor maneira de capturar o seu sabor. Pode também temperar azeites, que ficam ótimos em pratos típicos da região mediterrânea ou simplesmente regados sobre frango e peixe grelhados, companhados de tomate, batata e azeitonas. O conjunto de ervas faz ótimo efeito, ainda, em molhos para pizza, sopas, omeletes, legumes refogados, carnes de caça e espetos de carne ou frango. Embora seu uso mais interessante seja nos pratos quentes, nada impede que entre em temperos para salada e seja polvilhado sobre queijos.
Esta receita que eu tenho eu fiz baseado num mix de ervas que ganhei de um casal de amigos que passaram uma temporada na França. Eis a receita:
Quantidades iguais de ervas desidratadas: manjericão, tomilho, orégano, alecrim, salsinha, segurelha e estragão.


Fontes:

- http://caras.uol.com.br/revista/730/secao/estilo/ervas-de-provence#image0
- http://feitonahora.blogspot.com.br/

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Por que cozinhar os alimentos no vapor?


Imagine uma alimentação saudável aliada a um método de preparação simples e rápido. Imaginou? Então pode parar de imaginar, pois isso é possível com o cozimento no vapor. 

Além de ser um modo de cozinhar muito simples, esse tipo de preparo preserva melhor os nutrientes dos alimentos. A explicação é simples. No modo tradicional, quando adicionamos água nos alimentos para cozinhar, grande parte dos nutrientes presentes ali acaba sendo transferido para a água durante o processo de cozimento, o que fatalmente acaba deixando o alimento mais pobre no que diz respeito a sua composição nutricional. Cozinhando a vapor isso não acontece, uma vez que o alimento nem ganha e nem perde água. 

Mas as vantagens de cozinhar no vapor não param por aí. A comida fica muito mais saborosa quando preparada dessa forma. Os legumes ficam mais crocantes e saudáveis, e as carnes mais macias e suculentas. Uma outra vantagem é que o valor calórico dos alimentos tende a diminuir, uma vez que não é utilizado óleo ou outro tipo de gordura. Como se não bastasse, pesquisas apontam que quem consome alimentos cozidos no vapor tem menos chances de desenvolver câncer, diabetes, problemas de visão e do coração. 

A variedade de alimentos que podem ser preparados no vapor é muito mais vasta do que imaginamos. Na lista entram também as verduras, peixes, frutos do mar, aves e carnes magras, que precisam ser previamente bem temperadas antes do processo. 

Atualmente existem no mercado diversos tipos de panelas próprias para cozinhar no vapor, mas também é possível usar utensílios que você já tem em casa. Entre as opções, é possível improvisar com uma peneira de alumínio, escorredor de macarrão ou até cestos que tenham orifícios para a passagem do vapor. Para um resultado mais eficiente, o ideal é que o recipiente se encaixe na panela em que será colocada a água. 

Algumas dicas podem fazer toda a diferença para um cozimento adequado. Uma delas é não deixar o alimento encostar a água durante o cozimento. Outra dica, que pode ajudar a dar mais sabor à preparação, é temperar a água com temperos aromatizantes, como o gengibre, folhas de louro e ervas. Ao invés de usar água para cozinhar, também podem ser usados sucos, leite ou vinhos. Também é recomendável reduzir o fogo durante o cozimento e evitar abrir a panela durante o processo. Além disso, evite abrir a panela enquanto estiver cozinhando, isso pode interromper a circulação do vapor. É importante também manter uma panela com água fervente, de reserva, caso seja necessário completar mais água. 

E aí, anotou as dicas? Agora que você já conhece um pouco mais sobre o funcionamento e as vantagens de cozinhar no vapor, é só correr para a cozinha!  


Fonte: Cupom Now – Cupom de desconto

quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Frutas que Curam







Abacate (Persea gratissima, Persea americana mill) – Pertencente à família das Lauráceas.

A fruta é afrodisíaca produzindo efeitos benéficos ao couro cabeludo e a pele humana. Comer o fruto adoçado com mel éótimo para rejuvenescimento da pele e elimina manchas brancas. O abacate também é ótimo para a inflamação dos dedos, doenças dos rins, debilidade do estômago e afecções da garganta.

Possui alta taxa de gordura, sendo muito rico em calorias, o que o torna contra indicado para regimes de emagrecimento ou de manutenção de peso. No entanto, como a sua gordura é fácil de assimilar pelo organismo, pode constar da dieta de quem tem problemas digestivos. Além disso, contém vitaminas A e do complexo B e alguns sais minerais como ferro, cálcio e fósforo.

Composição: pequena percentagem de ácidos, matérias graxas, proteínas, substâncias minerais, óleo pingue, açúcar, hidrato de carbono, etc. O seu valor nutritivo é quatro vezes maior que o das outras frutas, exeto pela banana.

Indicação: prisão de ventre, flatulências, perturbações digestivas, gota, reumatismo, afecções dos rins, afecções da pele, afecções do fígado, etc.

Cascas: são vermífugas, adequadas também para tratamento de hemorragias, disenterias.

Folhas: na forma de chá é excelente diurético. Também é eficaz em nevralgias, dores de cabeça, catarros, bronquite, diarreia, afecções da garganta, cansaço, dispepsia atônica, rouquidão, tosse, disenteria, etc.


Abacaxi (Ananas sativus L. Merill)

É uma fruta com alto teor de vitamina C. Além disso contém celulose, uma substância indispensável para o bom funcionamento intestinal, e bromelina, uma outra substância que facilita a digestão das carnes. Também é bastante rico em sais minerais, como cálcio, fósforo e ferro.

Indicações: Pode ser aplicado como grande remédio para o tratamento da bronquite, afecções da garganta e difterias. O seu sumo é diurético e vermífugo.
Combate também a prisão de ventre, controla as funções hepáticas e favorece a digestão.
Auxilia também no combate a febres intestinais, enfermidades da bexiga, da próstata e da uretra, elimina cálculos renais e auxilia na função da vesícula. É empregado também no tratamento do reumatismo, da artrite, a hidropisia e icterícia.ótimo suco alimentar e é depurativo do sangue.

Cuidados: O uso abusado agride o estômago principalmente se a fruta não estiver bem madura; e pode provocar sangramento na boca e ou gengivas.


Ameixa (Prunus domestica Linné)

Nome popular: ameixa, ameixa-preta.

Família: rosáceas.

Parte usada: fruto maduro e parcialmente dessecado.

Há diversas variedades de ameixa. As mais conhecidas são: a vermelha, a amarela e a roxa.

A ameixa tem alto valor nutritivo. É rica em açúcar, sais minerais (cálcio, fósforo e ferro) e algumas vitaminas. É umótimo alimento, pois funciona como laxante natural.

Composição química: açúcares (principalmente glicose), dextrinas, pectina. Ácidos málico e tartárico. Água.

Indicações: laxativo, para regular a circulação intestinal e o apetite. Utilizado como edulcorante para corrigir o paladar de certos medicamentos.


Amora (Rubus Brasiliensis) -

Tanto a amoreira quanto algumas espécies de plantas medicinais, chamadas “silvas”, produzem amoras. Há amoras brancas e pretas, mas só as segundas são comestíveis. As brancas servem apenas para alimentar animais. É uma fruta de sabor ligeiramente ácido e adstringente, usada para fazer doces, compotas e geleias.

A amora é muito rica em vitaminas A, B e C e contém ácido cítrico. Tem propriedades depurativas, digestivas e refrescantes.



Banana (Musa Paradisíaca, Musa sapientium)

Possui um pequeno teor de gordura, fonte de potássio (excesso de potássio gera catarro - assim como o excesso de laranja).

Indicação: retenções de urina devido a nefrite (inflamação dos rins), no combate às diarreias crónicas e em xarope para a cura de tuberculoses, bronquites e dispepsia.

Indicado para crianças; de fácil digestibilidade, dietética e agradável. O puré de bananas é um alimento rico para lactentes (sete a oito meses).

Aplicação: a banana possui grande eficácia antidiarreica, por isso pode curar transtornos agudos digestivos em crianças, inflamações do intestino grosso e até a celiaquia – uma grave alteração intestinal e alimentar crónica.

A banana faz aumentar as reservas alcalinas necessárias no sangue. Possui sacarose e abundante conteúdo em vitamina C. O regime de bananas dá mais saúde e alegria às crianças. Fácil absorção da sacarose, boa digestibilidade. O famoso batido de banana com leite é indicado para doentes graves, febris e subalimentados, para as grávidas e lactentes, para os desportistas, operários braçais e para pessoas idosas com pouco apetite e formação insuficiente de suco gástrico.

Composição: frutose e glicose (açúcar invertido) e nenhum amido.

Curiosidade: Os soldados do Congo curam feridas com a seiva da bananeira. As flores da bananeira podem ser comidas como legumes, tal qual se faz no Ceilão.



Cidra (Citrus Medica)

A cidra é um tipo de limão galego, de tamanho acentuado. Árvore originária da Ásia.

Medicinal: dor de cabeça (aplicação da casca fresca, em rodelas sobre a testa); prisão de ventre (infusão das sementes juntamente com pétalas de rosa comum); perturbações do aparelho digestivo (indigestão, inapetência, flatulência - ingerir uma xícara de infusão da casca seca de cidra, tomado em jejum).

Aftas – fazer bochechos com suco de cidra.

Propriedades: proteínas, sais, calorias e vitaminas (A, B1, B2, B5 e C).


Cereja (Prunus Avium)

A cereja é uma fruta pequena, redonda e geralmente vermelha (existem cerejas amarelas e roxas).
A cereja pode ser classificada segundo seu grau de acidez.

Contém proteínas, cálcio, ferro e vitaminas A, B e C.

Quando consumida fresca, tem propriedades refrescantes, diuréticas e laxativas. Como a cereja é muito rica em tanino, pode provocar problemas estomacais.
Não é aconselhável consumir mais de 200 ou 300 g da fruta por dia.


Coco (Cocos Nucifera)

O valor nutritivo do coco varia de acordo com o seu estado de maturação. À medida que a polpa amadurece, aumenta o seu teor de gorduras. Também contém sais minerais, como potássio e fósforo, e proteínas importantes para o bom funcionamento do organismo.

A água de coco contém sais minerais, como sódio, potássio e cloro, e um tipo de açúcar muito fácil de digerir, a glicose.

A gordura do coco tem características bem diferentes das demais gorduras e óleos vegetais, parecendo-se mais com as gorduras animais. Também é digerida com facilidade e tem sabor mais agradável que as outras gorduras vegetais.

O leite de coco é rico em gordura e sais minerais, contendo também pequena percentagem de proteínas.


Figo (Ficus carica)

Família: Moráceas.

Quando maduro, o figo contém bastante açúcar. É rico em vitaminas e sais minerais, principalmente ferro. Também tem propriedades digestivas e laxativas. O figo seco contém mais calorias do que o fresco, porém menos vitaminas, que se reduzem durante o processo de desidratação.

Composição: energético, fibras indigestíveis, ácidos de fruta. Cem gramas de figos secos contém: proteínas 3,4; gorduras 0,8; hidratos de carbono 60; calorias 260; vitaminas A 60 (U.I. - unidade internacional); B1 120; B2 80; C 5mg; ácido nicotínico 1,7mg.

Indicação: um dos melhores remédios para a prisão de ventre, regular o fluxo biliar e como meio facilitador das secreções (devido aos ácidos de frutas e fibras indigestíveis).

Prisão de ventre: nas obstruções intestinais parciais, dar de manhã e em jejum, ou então no lanche, de 150 a 250gr de figos secos, depois de terem estado de molho, 12 a 24 horas. Igual quantidade se deve administrar nas doenças hepáticas e nos cálculos biliares, mas precisamente nos períodos não coincidentes com ataques agudos destas doenças.

O figo cozido com leite é um excelente remédio para úlceras gástricas, inflamações da boca e da laringe, tosse e bronquite. Excelente laxante, com propriedades emolientes, e se comido cru, em jejum, é vermífugo.

Com o pó de figos torrados, faz-se uma espécie de “café” recomendado contra bronquite e coqueluche.


Framboesa (Rubus idaeus)

Composição: nas folhas há ácido tânico, ácido láctico, ácido succínico e ácidos não saturados, e nos frutos há a pectina, glicose e ácidos de fruta. As sementes secas ao ar obtém-se 13,5% de um óleo pouco espesso e de cor verde amarelada. A fruta possui frutose.

Indicações: as folhas da framboesa têm efeito antidiarreico e anti inflamatório. Em inflamações das gengivas e de garganta usar a folha por infusão e fazer gargarejos para acalmar. A fruta excita o peristaltismo intestinal de um excesso de ácidos pela sua grande riqueza em bases.
A cura pela framboesa é indicada contra a prisão de ventre, e reumatismo e outras doenças metabólicas, sobretudo contra as doenças do fígado, dos rins e hemorróidas.
Boa para equilibrar a falta de vitaminas no organismo pois ela apresenta um conteúdo abundante de vitaminas.
O suco de framboesa com água é indicado para tirar a sede e ajudar na cura de doentes com febre

Uso: folhas de framboesa com folhas de amoreiras são recomendados em catarros, nas irritações e inflamações das vias gastrointestinais, nas diarreias e catarros inflamatórios do intestino grosso e nas hemorragias por hemorróidas.

Utilizado para melhorar o sabor de remédios farmacêuticos. Em compotas, doces, pastéis, etc.

Nota: A framboesa não é uma árvore; é um arbusto que mede aproximadamente a altura da cintura ou menos se for podada ou mais alta quando velha, podendo até ser cultivada em vasos dentro de casa.
Cuidar para não deixar a terra sempre húmida, manter ao alcance do sol.
Tem espinhos e folhas verdes claras.
A fruta é oca por dentro.


Laranja (Narrangui, Citrus sinensis)

Os nutrientes da laranja diferem conforme a variedade da fruta. Porém, de forma geral, qualquer tipo de laranja contém quantidades apreciáveis de sais minerais, principalmente cálcio, potássio, sódio e fósforo. A laranja também é rica em vitaminas do complexo B, contém um pouco de vitamina A e é considerada a melhor fonte de vitamina C (duas laranjas por dia fornecem a quantidade de vitamina C de que o organismo precisa). Além disso, a laranja contém açúcares simples, que são facilmente assimilados pelo organismo. Da flor e da folha da laranjeira extraem-se óleos e essências usados na medicina caseira.

O sumo é um remédio para muitas enfermidades, pois contém princípios açucarados, estimula o paladar, abre o apetite, acalma a sede, favorece a secreção da bílis e facilita a digestão.

Vitaminas: A, B1, B2 e C.

Medicinal: A laranja consumida na alimentação cura febres, asma, gripes, resfriados, pneumonia, histerismo, nervos, dor de cabeça, escorbuto, ácido úrico, cólera, stress, depurativo do sangue e muitas outras doenças.

O chá da casca secada na sombra contém vitamina C.
O suco recompõem o corpo todo e elimina muitas doenças.
O bagaço é cítrico e regula os intestinos e regenera os outros órgãos do corpo.
Inclua a fruta na alimentação diária.

Folhas e flores: atuam como antiespasmódico.

A fruta não tem contra-indicação.

Indicações: dissolve cálculos renais, abre o apetite, é digestiva, cura úlceras e serve contra a prisão de ventre - tomar o chá da casca e o sumo da fruta.

O suco: remédio contra a papeira e a gengivite.

    Pode ser consumida pelos diabéticos sem restrições (pouca concentração de açúcar - 5%).
    Com a casca cristalizada, a laranja se torna um excelente excitante de apetite.
    A “água-de-flor-da-laranjeira” é bastante conhecida por suas virtudes espasmódicas.

Óleo da laranja - essência

Parte usada: casca da laranja.

Propriedades: anticoagulante, anti depressiva, antiespasmódica, carminativa, desintoxicante, digestiva, diurética e sedativa.

Indicações: acidez estomacal, ansiedade, cólicas no aparelho digestivo, flatulência, histeria, má-digestão, nervosismo e taquicardia.

Cuidados: ao usar a essência de laranja na pele, evite se expor ao sol, pode irritar a pele.


Lima (Citrus sp.)

O sumo de lima é apropriado nos casos de hipercloridria, úlceras gástricas, acidez gástrica e afecções renais. Ajuda a combater o escorbuto, em virtude de seu elevado teor de vitamina C.

Chupar lima pela manhã é aconselhável no caso de dermatoses decorrentes das impurezas sanguíneas.

Segundo pesquisas do Dr. Teófilo Ochoa, “a lima é excelente contra as infecções, a neurite, o raquitismo, a pelagra.”

Em caso de flatulências, aconselha-se a casca da lima, em infusão, após as refeições. Para combater enxaqueca utilizar a folha da limeira, aplicando como cataplasma, junto às têmporas.

Composição química: hidratos de carbono, calorias, proteínas, sais.

Vitaminas: B2, B5 e vitamina C.


Limão (Citrus limonum, Osbeck)

Composição: calorias, água, carboidratos, lipidios, cinzas, vitaminas A, B1, B2 e vitamina C, além de potássio, cálcio, fósforo e ferro.
Cura mais de 150 doenças.

Medicinal: purifica o sangue, ajuda no metabolismo em todos os órgãos do corpo. Cura doenças respiratórias, do baço, tosse, bronquites, gases, infecções hepáticas, hidropsia, é tónico, sudorífero e anti-escorbútico.

Uso: De preferência utilize o sumo ou a casca seca. Fazer um copo de chá durante 4 dias por uma semana. Intercale dois dias e repita a dose, por várias vezes.

O seu ácido é natural, chamado Ácido Ascórbico ou vitamina C; tem o poder de eliminar a acidez estomacal, as azias, o ácido úrico e tem um grande poder alcalinizante. O nosso sangue precisa de ser alcalino, pois é justamente no sangue que se situam a maior parte das doenças. O limão é um poderoso depurativo (purificador do sangue).

Sobre a crença popular de que o limão corta o sangue: o limão faz o contrário; afina e fortifica o sangue, limpando-o. Por isso é tão recomendado para quem sofre de varizes e pressão alta.

O limão é um poderoso bactericida, uma espécie de antibiótico natural.
Pode acontecer que inicialmente o limão prenda um pouco o intestino; resolve-se isso tomando uma colher de mel puro de abelha num copo de água ao deitar ou em jejum e também comer verduras cruas.
O limão aquece o nosso organismo, pois tem cerca de 44 calorias em 100 gramas de suco, sendo por isso muito indicado juntamente com o alho e o mel para combater gripes, pois elas são desequilíbrios de temperatura.
O limão também é um poderoso cicatrizante.

A essência da casca do limão (o óleo da casca)

Parte usada: casca.

Propriedades: anti-reumática, anti-séptica, bactericida, depurativa, diurética, estimulante, estomáquica e tónica.

Indicação: acidez, anemia, calos, células mortas, desintoxicante, diabetes, doenças infecciosas, dores em geral, flatulência, gripes, hipertensão, nevralgias, oleosidade da pele, retenção hídrica (líquido), reumatismo, tosse e verrugas.

Cuidado: ao usar a essência (ou qualquer parte - o sumo) de limão na pele, não se exponha ao sol ou poderá sofrer queimaduras sérias (mesmo pequenos respingos do sumo podem manchar a pele.


Maçã (Pirus malus)

A maçã além de ótimo alimento é remédio. Uma maçã por dia ajuda a combater o câncer, enfarto, é indicado nas doenças do sistema nervoso, artritismo em geral, doenças infantis, doenças respiratórias, digestivas, dietas alimentares, baixa a febre, fornece fosfatos ao cérebro, cálcio aos ossos, ferro ao sangue, purifica o organismo, desinfecta e cura sem prejudicar, entre outras.

Composição: 83,9% de água, 0,4% de proteína, 0% de gordura, 13,3% de hidrato de carbono, 0,65% de amidos de fruta, 0,6% de minerais, 1,7% de excesso de bases, 59% de calorias. Além de sódio, potássio, magnésio, fósforo, enxofre e cloro, provou-se a presença do ácido salicílico e de alumínio.

Aplicação: catarro gastrointestinal, disenteria ou paratifo.
A maçã incha, absorvendo água e produtos intestinais tóxicos.
O grande conteúdo em tanino da maçã atua como adstringente contra inflamação. Em casos de diarreia e disenteria infantil. A pectina encontrada na casca da maçã quando na corrente sanguínea tem a propriedade de acelerar o processo de coagulação, o que a torna um remédio eficaz para a hemofilia (hemofílicos) - lavar bem a casca devido a aplicação de agro tóxicos.
Para inflamações renais, hidropisia, doenças do coração e dos vasos, favorece ainda os rins e o fígado.

Usada também em regimes de emagrecimento.
Para anémicos e intelectuais devido ao arsénio, ferro e fósforo.
A criança que comer a maçã todos os dias ficará protegida contra as infecções.
Remédio tónico e sedativo, o sumo é refrescante.

A prisão de ventre é tratada com êxito, pela sidra de maçã, e em todas as enfermidades inflamatórias do sistema nervoso central.
Se usada diariamente exerce um efeito fortalecedor e tónico, que convêm ser utilizado como reforço na gota, reumatismo, doenças de fígado e rins, hipertensão, transtornos cardíacos e erupção cutânea.

O éter contido na maçã atua como potente sedativo do sistema nervoso e das fibras musculares. É um nervino mais ativo que a valeriana, e por isso favorece o sono, acalma as dores e enxaquecas, assim como alivia as cólicas menstruais.

A maçã é especialmente indicada em todas as afecções ligadas directa ou indirectamente ao artritismo, tais como a gota, reumatismo, ciática, herpes, eczema e litiases de toda a espécie, e nos próprios casos de cálculos ou pedras renais, hepáticas e vesiculares e em todas as afecções provenientes da intoxicação úrica.

É útil para as crianças que padecem de disenteria, de dispepsia aguda ou crónica e de colite simples ou mucosa, que geralmente cedem a esse tratamento, fazendo descer a febre, tornando as fezes normais.

A polpa desse, além de conter todos os predicados curativos para vencer as enterites, causadoras principais da mortalidade infantil, contém todos os predicados alimentares de alta qualidade para nutrir convenientemente. Produz rápidos e surpreendentes resultados no tratamento da enterite ou diarreia infantil, basta suprimir-lhes o leite e todas as drogas que as terapêuticas alopáticas costumam prescrever em tais casos, e ministrar-lhe a polpa de maçãs.

Graças ao seu conteúdo de ferro, a maçã fornece resultados especiais no tratamento de tuberculose, bronquite e asma. É o mais apropriado fruto para doentes dos órgãos digestivos. Combate à acidez do estômago porque provoca abundante secreção salivar. Desinfectante intestinal em razão do ácido málico que possui, o qual neutraliza a ação dos germens patológicos. Óptima para os intestinos. Remédio por excelência na maioria dos males do aparelho digestivo.

Para as pessoas que se preocupam com a manutenção do peso, a maçã é um alimento que oferece quantidades mínimas de gordura. Entre os hidratos de carbono, o mais importante que fornece é a frutose, um elemento energético que vai directamente para o sangue. Quando comida em jejum e antes das refeições principais, devido ao seu conteúdo em celulose, sais de frutos, açúcar e substâncias derivadas, faz o efeito de um laxante suave.

    Indicado também para o tratamento de doenças crônicas da pele, sífilis e obesidade.
    Uma das capacidades mais importantes da maçã é a de dissolver os cálculos renais vesiculares e de se opor a própria formação do ácido úrico.
    Normalizador por excelência e eupéptico de valor incontestável.
    Por conter bromo, a torna recomendável para ser ingerida a noite, proporcionando um sono tranquilo e restaurador.
    É um alimento quase completo que traz benefícios para as pessoas de vida sedentária, assim como nos casos de astenia física e intelectual, esgotamento, convalescença, úlceras gástricas, gastrite, cefaleia, afecções brônquicas, prisão de ventre e colite.
    É um excelente rejuvenescedor dos tecidos.
    Também aconselhado para diabéticos.
    Possui a propriedade de impedir a precipitação do colesterol e ainda favorecer a sua eliminação.
    No uso tópico o sumo da maçã ajuda a firmar os tecidos.
    As afecções da garganta em geral se curam com uma dieta de maçãs.
    Desinfeta a boca (assepsia).


Manga (Mangifera indica)

Composição: água, carboidratos, proteínas, gorduras e sais. Vitamina A, B1, B2, B5 e C, e terebintina.

Propriedades medicinais: A casca da árvore é usada contra hemorragia uterina, leucorréias e sarna.
A resina que se retira do tronco é usada como depurativa e também contra disenteria e a sífilis, e a seiva dos galhos como antidiarreico.
Contra a asma usar as folhas novas.
As sementes assadas e secas(esmagadas no pilão) são indicadas contra vermes e a menorragia.
A polpa da fruta é usada para fazer medicamentos peitorais, e as cascas da fruta, (cozinhar) para tratar das cólicas em geral.
O chá da folha (cozinhar) combate bronquites e enfermidades da boca e o chá do caroço (cozinhar) pode-se usar contra lombrigas e parasitas.
Na homeopatia tem-se indicado remédios da mangueira para casos de hemorragias uterinas, problemas renais, gástricos, pulmonares e intestinais, inflamações catarrais, varizes, leucorréia e blenorragia.

Contra-indicações: há pessoas que não podem fazer uso da fruta devido a algum componente desconhecido , que pode sufocar a pessoa se não for tratada de imediato (pode ficar com cara de inchado).
Relato popular.


Maracujá (Passiflora macrocarpa)

É rico em vitaminas do complexo B e sais minerais, como ferro e fósforo. Além disso, também contém uma substância, chamada passiflorina ou paracujina, que tem propriedades sedativas, mas não é prejudicial pois não causa dependência.

O fruto contém sais e vitaminas. Em geral são soníferos.

Famoso por ser calmante. Rico em vitamina C.

Cada espécie tem sua aplicação na medicina doméstica, mas todos de um modo geral são soníferos.

As folhas do maracujá-da-bahia e do maracujá-cheiroso, em banhos quentes, são indicados contra a gota; e as sementes, também as do maracujá-pintado, são vermífugas.

A raiz do maracujá-branco, e as folhas do maracujá-com-folhas-de-louro, possuem propriedades emenagogas.

O maracujá-fedorento, aplicado em banhos e cataplasmas, para erisipela e inflamações.

O maracujá possui propriedades sudoríferas, anti-histéricas e vermífugas.

Contém calorias, carboidratos, vitaminas A, B1, B2, C; fósforo, cálcio e ferro.


Melancia (Cucurbita citrullus)

Uma das frutas mais refrescantes da natureza, a melancia deve ser consumida bem fresca e madura; do contrário pode causar cólicas e disenterias. Não abusar nem combiná-la com outros alimentos, principalmente as crianças.

Composição: fósforo, cálcio, ferro, calorias, proteínas, gorduras, hidratos de carbono, vitamina A, B1, B2, B5 e vitamina C.

A melancia é muito diurética (que facilita a secreção da urina).
Medicamento diurético - citação: Dicionário Aurélio), e levemente laxante (purgante - que causa evacuação intestinal; purgativo).

Indicações: levemente laxante e diurética. Indicada nos reumatismos e nas obstruções renais. A melancia lava o estômago e o intestino e traz muitos bons resultados nas enfermidades das vias urinárias. Vermífuga, antifebril, enérgica. Nos casos de ascite e obstrução renal é aconselhado o consumo de melancia.
Recomendada também para artrite, acidez gástrica, dispepsia, afecções dos rins e da bexiga.
As sementes pisadas são usadas pela medicina popular para combater moléstias do aparelho urinário.

Uso: como diurética, vermífuga e antifebril comer uma fatia diária de melancia.

Externamente: a polpa e a casca trituradas, através de cataplasma ou em sumo em pinceladas, é excelente no tratamento de erisipela.
Contra as febres, o sumo de melancia é bastante eficaz, pode-se colocar também pedaços da fruta no abdómen.



Melão (Cucumis Melo)

O melão é produzido por uma planta da família das Cucurbitáceas, originária da Ásia e aclimatada no Brasil.
Pertence à mesma família da melancia.

Utilidades Medicinais:

Disenteria - Triturar as sementes em água e um pouco de mel. Coar. Tomar morno e bem diluído, 3 xícaras por dia.

Doenças do Estômago - Tomar esporadicamente o suco de melão. Substituir refeições por este suco. Triturar as sementes em água e mel; coar e tomar morno e bem diluído, 3 xícaras por dia.

Febre - Proceder como indicado em disenteria, com a diferença de que o liquido ali indicado deve ser tomado fresco em caso de febre.

Insuficiência Hepática, - Proceder como indicado em estômago.

Inapetência - Triturar as sementes em água e mel (no liquidificador). Coar e tomar bem diluído, duas horas e meia antes da refeição.

Reumatismo - Fazer refeições só de melão, esporadicamente. Passar um ou dois dias por semana só com melão, quando se deve manter repouso.


Morango (Fragaria vesca)

Composição: nas folhas há substâncias tônicas e óleo essencial com citral.
Os frutos contém ácidos de frutas e sementes não digeríveis, pigmentos e substâncias aromáticas, levemente possuí ácidos gordurosos, enzimas, fermentos, secretinas e vitaminas.

Indicações: as folhas se empregam da mesma forma que da amoreira e da framboesa, nas inflamações e catarros das vias respiratórias superiores e das digestivas.
O morango tem efeito estimulante do apetite, facilita a digestão, excelente alimento para o fígado pelo seu elevado teor de açúcares naturais.
As matérias aromáticas atuam nos nervos do olfacto e do paladar aumentando o apetite.
Um quilo de morango pode conter até um miligrama de ácido salicílico; tal ácido é um remédio para o reumatismo articular e para a gota.

Contra a prisão de ventre, hemorróidas, êxtase da circulação, reumatismo articular e gota, doenças dos rins, perturbações circulatórias e, com vigilância médica, até no diabetes e nas doenças hepáticas pode-se fazer a cura de morangos (vários dias repetidos, nos quais se comerá até um quilo e meio de morangos), que é eficaz.
Também aumenta o metabolismo em geral por ser rico em minerais básicos.

Contra-indicação: há pessoas sensíveis ao morango, o que lhes causa irritação e ardor na pele (urticária). Isso porque o intestino está lesionado e permeável a um tipo de albumina (protease), que quando se introduz no sangue, provoca tais reacções (sendo que a origem pode ser hereditária). Para estas pessoas metabolicamente doentes aconselha-se o tratamento médico.

Contra inflamações da boca e garganta - ferver 5 gramas de rizoma de morangueiro em um litro de água, após filtrar. Usar o líquido morno em bochechos e gargarejos várias vezes ao dia.

Acelerar a cicatrização de chagas e feridas - esmagar umas folhas frescas do morangueiro e estenda sobre uma gaze. Aplique a compressa sobre a região atingida.

Como diurético - colocar um grama de rizoma do morangueiro em uma xícara de água fervente. Filtrar e pode-se adoçar a gosto (mel). Beber em seguida. Repita a dose duas vezes por dia.

Contra catarro intestinal - ferva em uma xícara de água, duas gramas de rizoma do morangueiro por dez minutos. Filtre o líquido e adoce a gosto. Beber em seguida.

Para aliviar a irritação da pele causados pelo frio, vento ou sol - lave e esmague algumas folhas frescas do morangueiro. Aplique em forma de compressa sobre a região da pele que apresenta os avermelhamentos.

Como diurético, antifebril, anti-reumático e regulador da pressão arterial – Comer seis frutas maduras por dia.
Contra-indicação: em doses altas pode tornar-se desaconselhável para os que sofrem de urticária ou outras moléstias eruptivas de pele (Consulte um médico antes de usar o morango).


Nêspera (Nespereira - Eriobotrya japonica, Nespilus Germanica)

A nêspera é uma fruta pequena, de cor amarela e casca aveludada, erroneamente chamada de ameixa-amarela ou ameixa-japonesa.

É uma fruta rica em vitamina C e sais minerais, como cálcio e fósforo.

Medicinal: diuréticos e exerce nos catarros intestinais uma ação energética anti inflamatória, donde provém a sua influência reguladora intestinal.

A polpa da nêspera contém: 0,35% de proteínas; não contém gordura; 11,5% de hidrocarbonatos (dos quais 9,5 são açúcares); 75% de água; 13,2% de celulose; 56 calorias; 0,44% de cinzas. Também contém pectina e tanino; ácidos cítricos, málico, tartárico e uma pequena quantidade de ácido bórico.

A semente contém 2,5% de óleos gordurosos.

O conteúdo em tanino e pectina justifica o seu efeito antidiarreico e regulador do intestino, assim como a sua ação adstringente e tonificadora da mucosa intestinal.

Receita: 1.000 gramas de nêsperas, 800 gramas de açúcar e 500 gramas de água tudo a cozer, durante 45 minutos, conservando-se depois em lugar fresco. Tomar durante várias semanas em jejum 20 cm cúbicos (não sei em colheres a medida) deste xarope.


Pêra (Pyrus communis)

Composição: baixo conteúdo calórico (100g equivalem a 50 calorias). O conteúdo de ácidos é menor que o da maçã, mas tem mais açúcar (esta quantidade varia de 6 a 13% conforme a maturidade da fruta).
Valiosas substâncias minerais básicas, maior que na maçã. Contém cálcio, magnésio, não possui sódio e cloro. Possui excesso de potássio. Certa quantidade em ácidos fosfóricos e silícico, em enxofre e em óxido de ferro.
Precariedade em vitaminas - falta vitamina A.
Quantidade pequena em vitaminas; procaroteno (0,014 mg), vitamina B1 (0,065 mg) e B2 (0,1 mg), vitamina C (3 mg para cada 100 gramas).
Hidratos de carbono, abundantes nas paredes celulares da pêra; um destes é a pectina que absorve tóxinas intestinais (Stepp, Prof. Dr. med. Wilhelm, ABC der Gesundheit, Verlag Carl Gerber, München).

Indicações: hidropisias e eliminação de inchaços edematosos característicos dos doentes do aparelho circulatório e dos rins, devido a sua grande quantidade em potássio e falta de sal, em combinação também pela falta (não possui) de proteínas e gorduras a torna eficaz nos tratamentos de eliminação de gorduras.
Eficaz no tratamento contra a obesidade (consumida crua ou cozida, combinadas as vezes com pão integral e iogurte no lugar da alimentação normal - não foi determinado o tempo de uso).
Possui leve ação diurética, depurativa e laxante.
A pêra crua pode ser pesada para doentes das vias gastrointestinais, mas cozida é digerível, não causando flatulência (cada caso deve ser analisado se é melhor crua ou cozida - pessoas sãs devem preferir peras cruas).
Em caso de haver grande sensibilidade de estômago e intestino, deve-se empregar o suco de peras cruas ou cozidas para conseguir a eliminação do sal e com ele a desidratação (pode combinar com outros tipos de sumos de frutas para uma cura a base de frutas).


Pêssego (Prumus persica - Pessegueiro)

O pêssego é uma fruta excelente do ponto de vista nutritivo, pois possui apreciável teor de vitaminas A, C e D e sais minerais (principalmente potássio). Quando fresco, tem grande quantidade de água, o que o torna indicado para doenças da bexiga e dos rins, pois é levemente diurético.

O caroço contém ácido cianídrico; este ácido é usado pela medicina homeopática para aplicar nas falhas do coração, nos colapsos graves e nas falhas dos capilares sanguíneos ou dos nervos vaso motores. Aconselha-se o uso de amêndoas de pêssego duas vezes ao dia.

Indicações: enfermidades pulmonares, afecções do fígado, prisão de ventre, úlceras cancerosas, herpes, dores reumáticas, hipertensão arterial, anemia. Recomendada aos diabéticos, gotosos e tuberculosos. Colagogo, diurético, depurativo do sangue, desintoxicante.

O caroço do pêssego é empregado como remédio curativo nos êxtases pulmonares, especialmente na denominada “tosse cardíaca”.
Moído, macerado e triturado, regulariza o fluxo menstrual.

As folhas amassadas, externamente aplicadas, têm efeitos sedativos.

As flores, em infusão, com água ou leite, em forma de xarope, é um bom laxante infantil.


Uva (Vitis vinifera - Europa)

A uva é uma fruta altamente energética por ser rica em carboidratos. Pela sua quantidade de água e sais minerais, ela activa os rins aumentando a eliminação de urina. Além de suave laxante, essa fruta atua contra várias enfermidades do intestino, fígado, abdómen, vómitos e amargo da boca, além de estimular as funções cardíacas.

Composição: água 72,92%, albumina 0,38%, glicose 23,51%, outros hidratos de carbono 2,23%, cremor de tártaro 0,52%, ácido tartárico 0,29%, outros ácidos 0,29% e minerais 0,50%. 100 gramas de uva contêm 79 calorias.

Medicinal: o sumo para a depuração do sangue para a renovação de plasma; comer a uva com casca e sementes para regular o funcionamento do intestino. Não causa apendicite.
As uvas devem ser muito bem lavadas.
Na defesa contra o esgotamento orgânico (desportistas), na anemia e em todas as fases de uma convalescença.
O sumo é um meio contra a obesidade – com auxílio de médico. Para doentes de estômago, fígado, intestino e circulação.

Indicação: peitoral, refrescante, suavizante, depurativa, diurética, aperitiva, calmante, anti escorbútica, tónica e reconstituinte.

Purificador do sangue, enriquecendo-o de glóbulos vermelhos. Regulariza a circulação nas doenças do coração e a respiração nas moléstias pulmonares, refresca os intestinos, melhora as diarreias e as disenterias, tonifica o organismo.
Combate a dispepsia, a atonia intestinal, as fermentações intestinais, a nefrite, a bronquite crónica, moléstias do fígado, a síndrome pletórica, tuberculose.

Também o seu consumo é indicado para evitar enfermidades. Tem ação laxante e efeito desintoxicante.
Drena as vias biliares.
Para o sangue é a cura de uvas uma excelente indicação.

A cura de uvas - Receita 1: oscila entre oito, quinze, vinte ou trinta dias. Tomam-se, usualmente, 3 quilos por dia. Come-se a uva sem as sementes e a casca. Passados os primeiros dias, pode-se, conforme o caso, tomar maior quantidade.
Pode-se utilizar outras frutas para acompanhar.
Não se deve engolir nas pressas a uva, e sim degustá-la muito bem.
Cada pessoa deve consultar um médico para saber as suas necessidades para a melhor cura da uva – idade, capacidade digestiva, constituição,…. Para a prisão de ventre utilizar também a casca.
Para os rins é melhor o sumo.
Para o fígado recuse a uva moscatel.
Para todos os demais escolha a uva que melhor agradar.

Contra-indicação: ricas em açúcar, as uvas só não são recomendadas aos diabéticos e aos que fazem regimes de emagrecimento.




Fonte: http://www.rhrcosmeticos.com.br/aromaterapia/literaturas/frutas.htm

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Condimentos, Especiarias e Ervas - Sabor e Saúde


Já sabemos que as ervas e especiarias dão um toque de sabor na nossa comida, mas é bom saber que além do sabor temos a questão da saúde!!!



Em primeiro lugar, o que são ervas aromáticas e especiarias? As especiarias derivam das raízes, casca, botões e frutos das plantas. As ervas aromáticas são normalmente retiradas das folhas de uma variedade de plantas. Ambas retêm a sua potência durante longos períodos de tempo se forem armazenadas convenientemente.





Segurelha

A Segurelha tem propriedade vermifugas e adstrigentes.

Ela é usadas e sopas, carnes e queijos

Estragão

O chá das folhas ajuda nas cólicas menstruais. Ela é usada em pratos de peixes, ovos, e especialmente frango e porco. Com mostarda (dijon) é um molho e tempero fabuloso

Salvia





É uma planta de folhas sedosas e aroma refrescante nativa da região do mediterrâneo onde é cultivada há milhares de anos. 
Seu chá é saboroso e digestivo. Ela é Anti-séptica (antiviral, antibacteriana), antiflogística (contra a inflamação). Como erva aromática, a salva tem um sabor ligeiramente apimentado. Na cozinha Ocidental é usada para dar sabor a carnes gordas (especialmente em marinada), queijos, e algumas bebidas.

Cominho


Nativo do mediterrâneo, pode ser encontrado em pó ou em grão. a especiaria tem propriedades digestivas, diuréticas e afrodisíacas.

· Use em: pães, queijos, tomates, batatas, hambúrgueres e assados.

Tomilho

Possui ação diurética, antifúngica (contra fungos como micoses e candidíase) e anti-inflamatória. melhora o fluxo sanguíneo e alivia os sintomas da artrite e das dores musculares.

· Use em: churrascos e pratos que levam tomate ou queijo.

Páprica

O pó é obtido do pimentão vermelho seco e moído. Na forma doce ou picante, a especiaria ajuda a reduzir dores e traz benefícios ao coração.

· Use em: ovos mexidos, pratos à base de arroz e ensopados de carne.

Alho

Além de ter propriedades anti-inflamatórias, antifúngicas e diuréticas, os dentes de alho ainda aliviam tosses, bronquite e resfriados.

· Use em: carnes, frangos e molhos de tomate.

Alecrim

Esta erva exige solo rico em cálcio e clima seco para nascer. É antioxidante (ou seja, retarda o envelhecimento) e diurética. Também protege contra o câncer e auxilia a digestão. O chá de alecrim tem efeitos anti-stress, auxilia no bom humor. (é sério eu já testei)

· Use em: carnes, marinados, refogados de legumes e frutos do mar.

Salsinha

Conhecida também por salsade-cheiro, ajuda a suavizar dores no estômago, a eliminar gases e a combater doenças do coração.

· Use em: molhos de ervas e manteiga, carnes, feijão e lentilha.

Cúrcuma

Raiz da família do gengibre, é antiinflamatória e anticancerígena. Uma colher (chá) por dia é suficiente para deixar os alimentos mais saudáveis.

· Use em: sopas, molhos, pães, maioneses, frangos, carnes e feijão.


Orégano

Suas folhas têm ação antioxidante e evitam a hipoglicemia (baixa do açúcar no sangue). Em chás, alivia tosse, bronquite e cólicas intestinais.

· Use em: feijão branco e receitas à base de tomates, ovos ou queijo.

Pimenta-do-reino

Pode ser usada tanto em grão quanto moída. além de saborosa, possui ação antioxidante e anticoagulante. Também previne gripes e resfriados.

· Use em: saladas, marinados, sopas e molhos diversos.

Cebola


A planta (isso mesmo!) previne tumores, impede a formação de coágulos, combate bactérias e fungos e fortalece o sistema imunológico.

· Use em: saladas, carnes, molhos - ela vai bem em qualquer prato.

Cebolinha

Da família da cebola, é rica em vitaminas a, B e C. Contém uma boa dose de enxofre, associado ao combate de doenças cardiovasculares.

· Use em: receitas com peixes, ovos, legumes, refogados, saladas e sopas.

Louro

O arbusto, do qual se usam somente as folhas, é nativo da Ásia, e um de seus principais benefícios é estimular o sistema digestivo.

· Use em: feijoadas, carnes de panela e moluscos.

Hortelã

Rica em vitaminas a e C, cálcio, ferro e magnésio, retarda o envelhecimento. Na forma de chá, combate dores de barriga e prisão de ventre.

· Use em: molhos, carnes, saladas, massas e sopas.

Manjericão

Em casos de estresse, exaustão e sintomas relacionados a eles (dor de cabeça, indigestão, tensão muscular, nevralgias etc.) ou de falta de memória e de concentração, o manjericão funciona como tônico. A ação da erva é tanto anti-séptica quanto desintoxicante, ajudando o organismo a se restabelecer de todo tipo de infecção.

- Use Molhos de tomates, saladas, sopas

Manjerona





De aroma adocicado,a manjerona é uma planta usada em receitas caseiras como analgésico,aliviando dores de cabeça e congestão nasal.Ainda combate insônia,reduz as contrações involuntárias dos músculos e até mesmo convulsões.

- Use Molhos de tomates, saladas, sopas







segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Facas e Cia

As facas podem ser usadas para as mais diferentes aplicações, como ferramenta, arma ou simples objeto de decoração e para cada função existem diversas combinações de geometrias de lâminas, tipos de metais e métodos de fabricação, cuja combinação a torna adequada a determinado tipo de uso.

O preparo de praticamente todas as receitas pede que o cozinheiro use uma faca e uma tábua de corte.

Existem vários tipos de facas, o uso de cada uma delas é determinado pelo tipo do corte desejado e pela textura do alimento a ser cortado. Confira os tipos de facas e utensílios mais usados na hora de cortar os alimentos.




Faca do chef





A lâmina desta faca é lisa, larga e longa (20 a 30cm), e sua ponta é ligeiramente curvada. Esta faca serve para quase todos os tipos de corte e por isso é a mais usada na cozinha.


Faca lisa


A lâmina desta faca é bem fina e lisa, seu comprimento é um pouco menor do que o da faca do chef e a sua ponta é levemente arredondada. Todas estas características fazem com que esta faca seja especial para o corte de fatias bem finas de frios e de pratos delicados como a massa folhada.



Faca para desossa


Esta faca tem a lâmina bem fina, lisa, longa e pontiaguda. Como seu nome já diz, esta faca é usada para desossar carnes, aves e peixes. Serve também para descascar frutas e vegetais.


Faca para tornear




Esta faca tem a lâmina bem fina, lisa, curta e é curvada. Como seu nome sugere, esta faca é usada para tornear e esculpir frutas e vegetais.



Faca para legumes



A lâmina desta faca é curta e levemente serrilhada. Esta faca é usada para cortar todos os tipos de legumes e de frutas.


Faca para pão




Esta faca tem a lâmina longa e serrilhada. Isto permite que o corte não machuque o alimento a ser cortado. Mas para isso a lâmina deve se fina e rígida. Esta faca também serve para cortar alimentos duros como chocolate e amêndoas e alimentos macios como bolos e tomate.


Faca para filetar



A lâmina desta faca é longa, tem a ponta arredondada e, o mais imporante, tem pequenas ranhuras que permitem a passagem do ar, facilitando o corte em fatias extremamente finas. É a faca ideal para cortar filetes de salmão, de presunto e de carne.


faca santoku 

É a de formato asiático e fio extremamente afiado. Esta faca multiuso da cozinha asiática corta bem carnes, peixes e legumes.

Outros utensílios:




Garfo trinchador

Este garfo de cabo e de dentes longos serve para firmar o alimento a ser cortado.

Chaira

A chaira é um dos instrumento usados para afiar as facas. Segure a chaira com a mão esquerda e a faca com a mão direita num ângulo de 20 graus em relação à chaira. Em movimentos rápidos passe todo o comprimento da lâmina da faca pela chaira. É importante afiar os dois lados da lâmina.

Tábua de corte

Não importa se a tábua é de madeira, de plástico, de vidro ou até mesmo de bambu. O importante é ter uma tábua para o corte de carnes e peixes e outra para o corte de legumes e frutas. Isto evita que as bactérias das carnes cruas contaminem os outros alimentos. Se a tábua escolhida for a de madeira, neste caso é interessante ter uma especificamente para o corte de cebola e de alho. A tábua de madeira nunca deve ser colocada na máquina de lavar louça. Para limpar a tábua de madeira, lave-a com esponja e sabão de louça após cada uso e uma vez por semana esfregue a metade de um limão com sal grosso em toda a superfície da tábua, deixe agir por alguns minutos e enxague. É importante que a tábua de madeira seque bem, evitando o aparecimento de mofo.


----------------------------------------

Fontes:

http://www.deliciadeviver.com.br/
http://www.moblydesign.com.br
http://pt.wikipedia.org/wiki/Faca

domingo, 12 de agosto de 2012

CUBINHOS DE AZEITE E ERVAS





Passos para Congelamento das ervas em azeite ou manteiga sem sal (derretida)

1.Escolher ervas frescas, de preferência do mercado ou o seu próprio jardim.
2.Se quiser você pode picá-las bem, ou deixá-las em ramos e folhas maiores. Na foto, as ervas foram finamente picadas.
3.Colocar em bandejas de cubos de gelo (cerca de 2/3 cheio de ervas).
4.Você pode misturar as ervas (sálvia, tomilho, alecrim).
5.Colocar azeite extra-virgem de oliva ou manteiga derretida sem sal sobre as ervas.
6.Cobrir com filme plástico e congelar.
7.Remove os cubos congelados e armazenar em recipientes ou sacos pequenos de congelamento.
8.Não esqueça de etiquetar cada embalagem ou o saco com o tipo de erva (e óleo) dentro!
9. Usar em assados, batatas cozidas, etc



-----------------------------------------------------
Fonte:  http://www.thekitchn.com/freeze-herbs-in-olive-oil-173648

segunda-feira, 25 de junho de 2012

O Alecrim



O alecrim (Rosmarinus officinalis) é um arbusto comum na região do Mediterrâneo ocorrendo dos 0 a 1500 m de altitude, preferencialmente em solos de origem calcária. Devido ao seu aroma característico, os romanos designavam-no como rosmarinus, que em latim significa orvalho do mar.

Fresco (preferencialmente) ou seco, é apreciado na preparação de aves, caça, carne de porco, salsichas, linguiças e batatas assadas. Na Itália é utilizado em assados de carneiro, cabrito e vitela. Em churrascos, recomenda-se espalhar um bom punhado sobre as brasas do carvão aceso, perfumando a carne e difundindo um agradável odor no ambiente. Pode ser utilizado ainda em sopas e molhos.


No geral, podemos usar o alecrim em pratos do dia a dia como:


Frango.
Peixe.
Carne de porco.
Cabrito, carneiros.
Salmão, badejo, linguado.
Pizza portuguesa e outras.



Devemos usar o alecrim com moderação, pois o sabor dele é forte.

Dica: Escolha alecrim fresco para usar no seu prato ou receita.

Enfim, use na decoração do seu prato e onde lhe convém usar.




Partes utilizadas:
Folhas

Propriedades do alecrim:
Antioxidante, anti-reumático, depurativo, diurético


Indicações do alecrim
Uso interno (chá):
Contra gazes, como condimento ou aromático (cozinha), contra a tosse, para a prevenção de doenças degenerativas como o Alzheimer, devido ao forte efeito antioxidante do alecrim.




Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Alecrim
http://www.criasaude.com.br/N2407/fitoterapia/alecrim.html
http://dicasdofreitas.com/onde-usar-alecrim-na-culinaria/
http://cozinhasingle.com.br/cz/blog/2011/09/08/cacao-com-mostarda-e-alecrim/